5 Pensamentos Poderosos e Eficazes Para Quem Quer Emagrecer e Ter Sucesso.


girl1Aqui é o Geosh, tudo bem? O artigo de hoje é rápido e nutritivo, tipo um fast-food orgânico =)

Pensar é o termogênico mais poderoso que existe. Tanto no sentido literal quanto no figurado.

É pensando que nós descobrimos o que queremos, definimos o que realmente importa e nos organizamos pra conseguir realizar esse desejo. É assim que nos transformamos, pensando e colocando o fruto do pensamento em prática.

Vamo lá, direto ao assunto:

5 Pensamentos Poderosos e Eficazes Para Quem Quer Emagrecer e Ter Sucesso.

1 – O seu corpo é fruto da realidade. A realidade não mente.

O seu corpo é o resultado direto dos seus hábitos alimentares e hábitos físicos. Muita gente me procura chateada e me diz, ah, Geosh, mas eu como pouquinho, eu como direito, eu me exercito todo dia, etc.

Se nada disso está funcionando, significa que os seus hábitos não estão assim tão bons. Colocando os hábitos corretos em prática ou melhorando os que você tem, ou você perde peso ou perde medidas.

2 – Você precisa aprender o que é eficaz e colocar o que é eficaz em prática.

O Resto é bobagem e tolice. Se você tem um objetivo e não sabe o que funciona para atingir aquele objetivo, estude e aprenda. Se você sabe e não usa, você está sendo tola(o), sofrendo atoa, perdendo tempo e deixando de viver coisas e sensações lindas!
—————————————————————————————————————————-

Banner250x250_2

Você deseja uma resposta passo a passo, completa e cientificamente eficaz para atingir o seu objetivo de emagrecimento de uma vez por todas? Te convido a conhecer o Livro Eletrônico Emagrecer de Vez.

Se você já conhece a eficácia do método e já tomou a DECISÃO de mudar de vida e investir nesse livro eletrônico: Clique AQUIesse link leva direto para a compra.

Clique aqui para conhecer!

Clique aqui para conhecer o novo livro de receitas.

Conheça também o novo livro de Receitas do Rodrigo, o 50 Receitas para emagrecerdevez. Ele tem alternativas realmente deliciosas que substituem qualquer alimento que você poderia utilizar como ¨desculpa¨ para não se alimentar de maneira Emagrecedora. No site ainda temos o Best Seller Hipertrofia Muscular, Para quem quer ganhar massa magra e obter os melhores resultados de maneira otimizada na academia.

————————————————————————————————————————-

3 – Na sua vida, 20% das ações trazem 80% dos resultados. Foque nesses 20% mais eficazes 80% do tempo.

girl2Essa regra é valida pra tudo, 20% dos alimentos que você come trazem 80% dos benefícios. 20% das roupas que você tem são as roupas que mais usa. 20% do que você faz no trabalho geram 80% do retorno.

Procure definir quais são as coisas mais eficazes que você faz e procure fazer elas por mais tempo e se dedicar mais a elas. Assim fica mais fácil ser eficaz e também entender a importância das coisas e dos hábitos eficazes.

Ser eficaz te torna mais satisfeita(o) consigo mesmo e essa capacidade faz as pessoas te verem como uma pessoa de muito valor!

4 – Ser humano é ser massa de modelar.

Nós nunca somos, sempre estamos. Se você não malha e você está fraco, ao fazer exercícios de musculação, você vai ficar mais forte.

Se você não conversa com pessoas desconhecidas em situações amistosas, você está tímida(o). Se você se treinar a se desinibir, em poucos meses você se treinou a ser uma pessoa extrovertida.

Nossos cérebros são capazes de neuroplasticidade: mudar e aprender estratégias novas, ou seja, nós somos capazes de mudar qualquer coisa em nós com a devida dedicação =)

5 – Para mudarmos, é necessário sonhar.

No item acima você já viu que somos fisicamente capazes de mudar. Mas se você quer vencer, você precisa realmente querer a mudança; Como estimular essa vontade? Como atiçar esse desejo?

É até simples. Basta se permitir sonhar. Quando foi a ultima vez que você parou, fechou os olhos e imaginou o que queria ser?

girl3Sério, com todos os detalhes, todas as sensações… Por exemplo: Você já imaginou que gostoso seria vestir uma roupa que caia super bem e mostre o seu novo corpo… E ouvir elogio das pessoas pelo tanto que você mudou? Olhar no espelho e sentir orgulho da sua capacidade e do que vê?

Pare e sonhe. Imagine como pode ser bom atingir seus objetivos. Visualize como seria a sua vida…

Nós as vezes nos impedimos de sonhar por medo de criar um desejo muito forte e depois fracassar. Mas nisso esquecemos que o melhor da vida é ter sonhos e tentar conquistá-los.

Por que nada no mundo é mais gostoso ou nos deixa mais felizes do que transformar um sonho em realidade =)

Geosh.

Emagrecer de Vez

Uso racional dos antibióticos

Bactérias são seres microscópicos formados por uma única célula. Elas podem ser encontradas na água, no solo, no ar, em todo o planeta, enfim. Os especialistas garantem que, no corpo humano, sobretudo na pele e no sistema digestivo, o número de bactérias é maior do que o número de células. A grande maioria vive em perfeita harmonia com o hospedeiro e funciona até como mecanismo de proteção. No entanto, sob determinadas circunstâncias, algumas causam doenças que só puderam ser tratadas e curadas depois do advento dos antibióticos.

O problema é que o uso abusivo e indiscriminado desses remédios na população e na agricultura fez com que parte das bactérias estejam desenvolvendo resistência contra seu mecanismo de ação e, como consequência, muitas doenças banais podem voltar a ser incuráveis.

Leia também: Resistência aos antibióticos

A OMS (Organização Mundial da Saúde) considera alarmante a situação criada pelo mau uso dos antibióticos e que é preciso revertê-la. Para tanto, existem recursos que não podem ser negligenciados. Veja quais são:

1) Não se automedique. Antibióticos só devem ser utilizados sob orientação médica para tratamento de infecção por bactérias. Não fazem o menor efeito nas infecções por vírus ou outros micro-organismos patogênicos.

2) Siga rigorosamente a prescrição médica. Antibióticos só devem ser usados nas doses prescritas e no prazo determinado pelo médico. Em geral, as primeiras doses eliminam as bactérias mais frágeis e os sintomas melhoram. Se o tratamento for interrompido nesse momento, as mais fortes ganham espaço para continuar se multiplicando e transmitindo a resistência aos antibióticos para bactérias da mesma geração e das gerações seguintes.

3) Respeite os horários previamente estabelecidos para manter, no organismo, a concentração do remédio necessária para combater todas as bactérias perigosas, fracas ou fortes, e evitar que se tornem resistentes à medicação.  Encurtar o intervalo entre uma dose e outra, por conta própria, também não acelera o processo de recuperação e favorece o mecanismo natural de luta pela sobrevivência das bactérias.

4) Descarte os antibióticos com prazo de validade vencido e as sobras de medicamento para não correr o risco de utilizá-los em outra ocasião, quando podem ter perdido o efeito desejado.

5) Leia a receita na presença do médico para ver se entendeu como deve tomar o medicamento. Dela deve constar, de forma bastante clara e legível, o nome do remédio, a quantidade e os horários de cada dose e a via de aplicação.

É importante ainda saber que, durante o tratamento com antibióticos, a pessoa deve:

1) evitar bebidas alcoólicas para não sobrecarregar o fígado, uma vez que é nesse órgão que tanto o álcool quanto a maior parte dos antibióticos são metabolizados. Não é que o álcool corte o efeito do remédio, mas pode alterar os níveis de sua concentração no sangue.

2) informar-se sobre a interação do antibiótico com as pílulas anticoncepcionais. Embora não haja consenso sobre o assunto, há quem defenda que as pílulas podem ter sua eficácia comprometida pelo uso concomitante de antibióticos.

3) consultar o ginecologista ou o obstetra sobre o antibiótico indicado para combater infecções bacterianas durante a gravidez. É sempre importante tratar a doença na gestante, mas indispensável selecionar o medicamento que menos atinja o feto em formação.

4) substituir, sempre que possível, na hora de medicar as crianças, os antibióticos à base de tetraciclina, que podem afetar a coloração dos dentes em formação, por produtos equivalentes que não apresentem esse efeito colateral.

The post Uso racional dos antibióticos appeared first on Dr. Drauzio Varella.

Dr. Drauzio Varella

Pesquisadores descobrem tratamento da esquistossomose até 8 vezes mais eficaz

Agência Brasil

A descoberta aconteceu através da pesquisa dos genes que permitem o Schistosoma mansoni, parasita causador da doença, resistir a mediação habitual

Pesquisadores do Instituto de Química da Universidade de São Paulo (USP) descobriram uma combinação de drogas que pode aumentar em até oito vezes a eficácia do tratamento da esquistossomose.

O estudo indicou que utilizar o Omeprazol em conjunto com o Praziquantel, medicamento tradicionalmente usado para combater o verme, eleva a mortalidade dos parasitas.

“Aumentar a eficiência de uma droga que já é usada, que é a única  recomendada pela Organização Mundial de Saúde para tratamento da esquistossomose, pode garantir um controle maior da doença”, disse o professor Sergio Verjovski-Almeida.

A descoberta aconteceu através da pesquisa dos genes que permitem o Schistosoma mansoni, parasita causador da doença, resistir a mediação habitual.

“Nós fomos estudar doses menos efetivas, vendo como o parasita escapa [da medicação]. Antes dele morrer, a gente faz uma análise dos genes que ele está mudando em função da exposição com a droga”, explicou o pesquisador.

Após identificar o conjunto de genes que dava resistência aos parasitas, os cientistas passaram a testar drogas conhecidas com capacidade de agir sobre portadores dessa carga genética.

Brasil vai testar vacina contra esquistossomose

O Omeprazol tem a vantagem, segundo Almeida, de ser um medicamento já usado por seres humanos. “Não há grande chance de ser tóxica, porque o Omeprazol já é um antiácido usado nos humanos”, enfatizou.

Com os bons resultados em laboratório, onde a combinação das substâncias aumentou entre três e oito vezes a mortalidade do Schistosoma mansoni, há a expectativa do tratamento ser testado em animais.

Primeiro, para confirmar se os dois remédios juntos não são tóxicos, e, em seguida, para avaliar se a eficácia é a mesma ao ser administrada em organismos vivos.

Por enquanto, os testes foram in vitro.

Um tratamento mais forte pode ser uma alternativa, na opinião de Almeida, para conter a doença em regiões com grande incidência do parasita.

“Os pacientes que vivem em zonas endêmicas são reinfectados. Então, você tem que ter um tratamento de toda a população que vive em uma região endêmica para que eles não depositem ovos através das fezes na água e reinfectem outras pessoas”.

* Com informações da TV Brasil.



Saúde: bem-estar, dicas de alimentação, dieta e exercícios – iG

Metade da população está diabética e pré-diabética

quadrado incial

Por: Robert Glatter, MD 

Um sinal de alerta nacional para intensificar os esforços para controlar a crise de obesidade, com maior foco na dieta, monitorar o açúcar no sangue, insulina e exercícios de resistência de alta intensidade.

De acordo com um estudo publicado on-line no JAMA hoje, quase 50% dos adultos que vivem nos EUA têm diabetes ou pré-diabetes, uma condição em que uma pessoa produz elevados níveis de insulina e açúcar no sangue e está em risco de desenvolver diabetes.

A diabetes, uma condição onde o açúcar no sangue está elevado constantemente devido a resistência à insulina, é o resultado da obesidade e da má alimentação que conduz à síndrome metabólica .

A diabetes é uma doença dispendiosa nos EUA, acumulando um número estimado de 245 bilhões de dólares gastos em 2012, relacionados com o consumo e utilização dos recursos de cuidados de saúde, bem como perda de produtividade e absenteísmo, de acordo com os pesquisadores do estudo. Diabetes pode danificar os vasos sanguíneos, os olhos e os rins, também resultando em má cicatrização de feridas e infecções devastadoras dos tecidos. Cerca de 71 mil pessoas morrem anualmente devido a complicações associadas com diabetes, com base em estatísticas recentes da American Diabetes Association.

sugar_stacks_18

Os investigadores do estudo definiram diabetes não diagnosticada como pessoas que possuem glicose no sangue em jejum acima de 126 mg / dl ou uma hemoglobina A1C acima de 6,5%, uma medida de controle de glicose a longo prazo. Pré-diabetes foi definida como tendo um açúcar no sangue em jejum de 100-125 mg/dl, ou uma hemoglobina A1C de 5,7- 6,4%. Os pesquisadores avaliaram 5.000 pacientes que fizeram parte de uma pesquisa nacional projetada para avaliar a prevalência de diabetes e explorar as tendências em diferentes subgrupos e etnias.

Os resultados do estudo indicam que, em 2012, entre 12% e 14% dos adultos tinham diabetes, os dados mais recentes disponíveis. A maioria destes são diabéticos tipo 2, resultado de má alimentação e obesidade. Os pesquisadores também descobriram que as taxas de diabetes entre os americanos-asiáticos que antes eram uma população não estudada foram tão elevadas como as taxas observadas entre outras minorias. Até 20% dos asiáticos americanos tinham diabetes, com quase 50% deles sem mesmo estarem cientes de sua condição.

Dados adicionais estudo também revelaram que até 22% dos afro-americanos tinham diabetes, em comparação com 11% entre os brancos. Quase 23% dos hispânicos e 20% dos asiáticos foram observados como portadores da diabetes.

Importante notar, a proporção de diabetes não diagnosticadas foi muito alta em hispânicos e asiáticos-americanos 50%, ao mesmo tempo que foi apenas cerca de 33% de branco e negros.

Os pesquisadores também observaram um aumento acentuado na diabetes entre 1990-2008, com a incidência permanecendo estável depois de 2008.

De acordo com os pesquisadores, “a prevalência de diabetes aumentou significativamente ao longo do tempo em todas as faixas etárias, em ambos os sexos, em todos os grupos raciais e étnicos, por todos os níveis de ensino e em todos os grupos de renda.”

Os pesquisadores também estratificaram os participantes do estudo por IMC, ou índice de massa corporal, um indicador de obesidade derivado da divisão do peso (em kg) pela altura em metros quadrados.  “Quando classificados pelo IMC, diabetes só aumentou entre as pessoas com um IMC alto”, escreveram os pesquisadores. Um IMC > 30 indica que uma pessoa tem obesidade. A única exceção foi observado entre asiático-americanos onde IMC médio de 25, classificando-os com excesso de peso, mas não como obesos.

Um estudo do CDC publicado em 2014 observou que 29 milhões de pessoas nos EUA tinham diabetes, com 86 milhões classificados como tendo pré-diabetes, quase um terço da população adulta dos Estados Unidos.

Monitoramento da insulina e do açúcar no sangue como prevenção da diabetes

 A pergunta natural é: como podemos proteger e monitorar pessoas antes que elas desenvolvam diabetes. Enquanto Hb A1C é certamente uma maneira precisa para alcançar este objetivo, o uso de sensores e novas tecnologias, como a fluorescência utilizada por pesquisadores da Universidade de Leeds, em Londres, para acompanhar de forma não invasiva e monitorar esses parâmetros e Hb A1C e de açúcar no sangue podem ser a próxima fronteira.

Os números surpreendentes sobre desordens metabólicas, como diabetes e síndrome metabólica em nosso país e em toda as nações industrializadas é uma chamada à ação”, disse Richard Able, Fundador, X2 Biosystems e Partner, Stratos Grupo Seattle.”

Profissionais acreditam que a detecção e monitoramento precoce é a chave para ajudar os pacientes a evitar a chegada dos pacientes no estado pré-diabético, mantendo uma estreita vigilância sobre os níveis de insulina açúcar no sangue.

Os médicos e os pacientes devem estar se auto monitorando para acompanhar  a regressão ou progressão da doença”, explicou.

banner livro

O post Metade da população está diabética e pré-diabética apareceu primeiro em Primal Brasil.

Primal Brasil

Novo remédio para diabetes reduz 38% do risco de morte por doenças do coração

Elioenai Paes

Estudo de eficácia e segurança mostrou que além dos efeitos sobre a glicose, o medicamento protege o sistema cardiovascular de pacientes em alto risco

O diabetes é uma doença endocrinológica grave que, se não controlada adequadamente, pode danificar muitos órgãos do corpo e levar à morte. De oito a dez milhões de brasileiros sofrem com a doença e uma das maiores causas de morte em decorrência dela são as complicações cardiovasculares.

Um remédio lançado este ano com o objetivo principal de eliminar a glicose do sangue de diabéticos tipo 2 também se mostrou eficaz ao reduzir em 38% o risco de problemas cardíacos como infarto, AVC e insuficiência cardíaca, diz uma pesquisa publicada no periódico científico New England Journal of Medicine.

Glicose alta afeta os vasos sanguíneos, pode alterar os lipídios e favorecer o depósito de gorduras nas artérias, aumentando o risco cardiovascular

Glicose alta afeta os vasos sanguíneos, pode alterar os lipídios e favorecer o depósito de gorduras nas artérias, aumentando o risco cardiovascular

Foto: Thinkstock/Getty Images

O organismo sofre uma série de alterações metabólicas com o diabetes, explica o coordenador do estudo no Brasil e doutor em cardiologia pelo Instituto do Coração da USP (Incor), Francisco Kerr Saraiva.

“Essas alterações estão associadas à inflamação no organismo e a outros problemas relacionados a alterações de lipídios. A própria glicose alta causa reações agressivas nos vasos e aumenta a chance da pessoa vir a desenvolver aterosclerose (depósito gorduroso nas artérias)”, diz ele.

Além de doenças coronarianas o diabetes pode danificar o rim e provocar o AVC. “Durante décadas a comunidade científica vem buscando algo que pudesse proteger a população diabética contra o infarto, além de controlar a glicose”, conta o médico. “Alguns remédios para diabetes inclusive aumentavam os problemas cardiovasculares.”

O objetivo dos cientistas aparentemente foi encontrado: segundo o estudo, o medicamento (empagliflozina) conseguiu reduzir em 38% as mortes por doenças cardiovasculares em pacientes de alto risco e que já haviam sofrido alguma intercorrência cardíaca. “É uma redução gigantesca, um grande avanço e um grande marco. Pela primeira vez conseguimos mostrar esse efeito.”

Diabetes descontrolada é responsável por 80% das doenças da retina

Britânico reverte diabetes com dieta de apenas 11 dias

11 sinais de que você pode estar com diabetes

A empagliflozina atua de forma diferente da maioria dos outros medicamentos contra o diabetes tipo dois. “Há várias classes de medicamentos que aumentam a secreção de insulina pelo pâncreas, outros que aumentam a sensibilidade da insulina pelo organismo, outros que fazem a reposição desse hormônio”, conta o médico.

Esse medicamento, no entanto, atua inibindo a reabsorção de glicose pelos rins. O corpo entende que a glicose é energia e não quer perdê-la, mas o remédio consegue fazer com que essa glicose seja eliminada na urina, diminuindo a circulação dela no sangue. Com isso, reduz o diabetes.

A descoberta que a empagliflozina poderia reduzir 38% das mortes por problemas cardiovasculares em pacientes diabéticos veio por acaso.

“Esse estudo foi exigido pelo Food and Drug Administration (FDA) porque já houve casos de remédios para diabetes que aumentavam o risco cardiovascular. Agora todo medicamento tem que passar por esse teste, para ver se não traz malefícios ou ao menos não munda em nada”, conta o médico. “Nesse estudo de segurança e eficácia, aconteceu essa surpresa”, conta Saraiva.

Esse medicamento, portanto, pode beneficiar a população diabética de alto risco, que já tiveram algum problema cardiovascular em decorrência da doença. Somente um médico, no entanto, é quem avalia e pode indicar esse medicamento.

Leia mais sobre saúde



Saúde: bem-estar, dicas de alimentação, dieta e exercícios – iG

Como queimar gordura corporal

quadrado incial

Por Ben greenfield

Como virar uma máquina de queimar gordura

 

Por que você foi enganado sobre os carboidratos e como transformar-se em uma máquina de queima de gordura parte 4

Na Parte 1Parte 2 e Parte 3 deste artigo demonstrei por que você foi enganado sobre os carboidratos e como seguir uma dieta cetogênica rica em gordura para melhor composição corporal, saúde e para quaimar mais gordura como fonte de energia.

12 Passos para você se transformar em uma máquina de queima  gordura e provar que você realmente não precisa  de carboidratos.

Passo 1: seguir uma dieta rica em gordura por 6 Meses.

 

O estudo UCONN matriculou atletas de ultra-endurance altamente treinados, do sexo masculino e feminino (por exemplo, ultra-maratonistas, triatletas, Ironman, etc.), que tinham consumido rigorosamente uma dieta baixa em carboidratos (definida como constituindo menos de 20% das calorias provenientes de carboidratos) ou uma dieta rica em carboidratos (defina como tendo mais do que 55% das calorias a partir de carboidratos) durante pelo menos 6 meses.

BiohackingBen

Como você provavelmente já adivinhou até agora, eu era um dos caras seguindo a low-carb.

Passo 2: Teste de utilização de ácido láctico no sangue

 

Para definir uma linha de base para correr na esteira por três horas, o que iria acontecer no dia seguinte, eu me submeti a um dos mais brutalmente intensos testes de ciência do exercício que existe: um protocolo de esteira V02max. Este estava escrito para mim assim “um teste incremental em esteira que irá aumentar continuamente a intensidade até atingir a fadiga voluntária”. Em outras palavras: eu teria que executar a corrida até quase desmaiar e cair para fora da esteira. Após o aquecimento, este teste normalmente leva cerca de 12 minutos, com aumentos significativos na velocidade e grau de intensidade a cada dois minutos.

Antes de cada estágio de dois minutos, dei uma breve parada para que os investigadores tirassem uma única gota de sangue do meu dedo para analisar a concentração de lactato sanguíneo. O lactato sanguíneo é o padrão ouro para determinar quando os músculos começam a produzir mais ácido láctico do que eles realmente podem remover. Níveis de lactato sanguíneo durante o exercício também é um parâmetro que nunca havia sido medido durante o exercício em atletas ceto-adaptados (adaptados a dieta alta em gordura e muito baixa em carboidratos). Uma vez que uma pessoa ceto-adaptada está queimando menos carboidratos, ela deveria, teoricamente, produzir menos ácido láctico, resultando em menos queimadura e menos desconforto durante o exercício – um otimização conveniente, na verdade…

Teste de oxigênio na esteira.

greenfild parte 4 1

Preparando-se para o inferno na esteira.

ben greenfield parte 4 2

O teste de  VO2 máximo começa

greenfild parte 4 3

Testando o ácido láctico no sangue.

—————————————

Passo 3: urina de 24 horas e coleta de fezes

 

Sabe-se que a proporção de macronutrientes (carboidrato / gordura / proteína) afeta drasticamente as bactérias do intestino e que influencia tudo, desde a produção de neurotransmissores para o desempenho até a propensão para a obesidade (daí a atual busca de uma “droga para queimar gordura” à base de bactérias).

Portanto, para este estudo, não só fui obrigado a recolher 24 horas de urina em um recipiente laranja extravagante (também controlar rigorosamente o estado de hidratação, para medir o teor de nitrogênio da minha urina)…

… Mas eu também tinha a obrigação de fazer cocô em um recipiente de plástico do tamanho de uma embalagem de iogurte e uma amostra de fezes para que os pesquisadores pudessem olhar para as bactérias e micróbios do meu intestino. As amostras de fezes foram utilizadas para analisar a minha microbiota intestinal e usar (exatamente como foi descrito para mim pelos pesquisadores) “Técnicas de sequenciamento de próxima geração que têm como alvo o gene 16S rRNA bacteriano”. Aparentemente, esta é muito semelhante ao tipo de ensaio a ser utilizado pelo projeto fascinante O projeto intestinal americano (american gut project).

greenfield parte 4 4

Meu fiel companheiro de 24 horas. O recipiente de urina.

——————————————————————————

  Passo 4: DEXA digitalização

 

Acredite ou não, essas balanças eletrônicas que você pisa para fazer medições de gordura corporal podem ser notoriamente imprecisas. Em vez disso, a medida padrão ouro para composição corporal (percentual de gordura, porcentagem de músculo, densidade óssea e peso) é determinada por meio de um aparelho chamado “scanner de DEXA”. É isso mesmo: o mesmo tipo de scanner utilizado para diagnosticar a osteoporose pode também dizer-lhe quão gordo você está. Durante o meu exame DEXA, eu estava calmamente e completamente imóvel sobre uma mesa enquanto um técnico de raios-X certificado dirigido um braço de digitalização para passar sobre o meu corpo da cabeça aos pés, levando cerca de 5 minutos para analisar toda o meu teor de gordura.

Você pode estar interessado nos resultados que irá encontrar na tabela abaixo, se você gostaria de eliminar qualquer receio de que uma dieta rica em gordura vai fazer você engordar. Na verdade, eu estou muito mais magro do que quando estava comendo uma dieta de baixa gordura.

Aviso: Se você decidir começar uma varredura DEXA para medir a sua própria gordura corporal, porcentagem de músculo e densidade óssea, você estará exposto a uma quantidade muito pequena de radiação pelo scanner utilizada para medir a composição do corpo. A exposição a qualquer quantidade de radiação de raios-X, não importa quão baixa, pode causar alterações anormais em células. No entanto, o corpo continuamente faz reparos celulares a essas mudanças – a quantidade de radiação é muito baixa em apenas uma varredura de DEXA e a exposição total para toda a varredura do corpo é aproximadamente 125 vezes menor do que a média de radiação a partir de uma radiografia de tórax normal. DEXA digitalização.

greenfield parte 4 5

Você acha interessante que uma dieta à base de gordura (+ 60%) resultou em 5,2% de gordura corporal? Chocante, não é? Comer gordura não faz vocês engordarem, pessoal.

—————————————

Passo 5: Biópsia do músculo e de gordura

 

Agora vem a parte divertida – uma biópsia muscular e de gordura pré-treino para determinar o armazenamento de carboidratos e se uma dieta rica em gordura me deixou “isento de carboidratos”. Além de medir o armazenamento de carboidratos, a análise muscular pode ver como meus músculos ceto-adaptados podem suportar um nível teoricamente maior do que o normal de oxidação de gordura. A biópsia permite a medição de glicogênio muscular, triglicérides, tipo de fibra, marcadores de inflamação e imunidade e até mesmo padrões de expressão específicos para alguns genes.

Aqui está exatamente como a biópsia muscular me foi descrita pelos cientistas:

“Para este procedimento você vai deitar-se numa cama de hospital confortável antes do exercício.Vamos usar um anestésico local para amortecer uma área de sua pele e músculo da coxa antes de obter uma pequena quantidade de músculo através de uma agulha de biópsia muscular. Esta é a primeira de três biópsias musculares que serão feitas, incluindo uma imediatamente após o exercício e uma duas horas após o exercício. 

Enquanto a Lidocaína faz um bom trabalho de eliminar a dor aguda de uma incisão, ela não pode eliminar totalmente a dor incômoda associada com a realização da biópsia. A agulha de biópsia tem aproximadamente o mesmo diâmetro de uma caneta Bic. Após as incisões na pele e na fáscia serem feitas, a agulha será inserida através delas no músculo. A agulha de biópsia provavelmente fará com que o músculo sofra cãibra por um segundo. Uma vez no lugar, a agulha irá ser utilizada para fazer três ou quatro “recortes” no músculo, que vai ser removido de você. A quantidade total de músculo removido será entre 50 e 200 mg, ou um montante total sobre o tamanho de um saquinho de pipoca não estourada. Depois disso, a agulha será retirada, alguma pressão será colocado no local para controlar a hemorragia, e a incisão será fechada com uma sutura. Você não vai notar a falta deste músculo, tanto cosmeticamente quanto funcionalmente. Há estudos em que mais de 400 mg foram removidos sem problemas.

Após o procedimento, você terá um curativo compressivo aplicado no local e sua coxa estará envolvida com um envoltório de compressão. Vai ser apertado, mas não deve ser doloroso. Na noite do procedimento, você será instruído a manter o joelho dobrado, tanto quanto possível, aplicar gelo para sua coxa, evitar calor ou massagem, e evitar medicação anti-inflamatória.“Você aguenta”.

Quer a versão curta? Eles meteram uma agulha em sua perna, cortaram o músculo para congelar e isso dói pra carr* # ho. Especialmente à noite.

A biópsia de gordura (AKA lipoaspiração barata) foi relativamente semelhante e descreveram-me o seguinte:

 “Antes de cada um dos três procedimentos de biópsia do músculo, obteremos um pequeno pedaço de gordura por baixo da pele a partir do quadrante exterior e superior da nádega sob anestesia local, utilizando uma agulha. A área da nádega é escolhida porque os participantes desta investigação são magros, e esta área é provável de gerar um maior acesso de gordura que outros locais comuns (por exemplo, abdômen, quadríceps, etc.). Uma agulha 16 G (tão espessa quanto uma moeda de 1 centavo) vai ser adaptada a uma seringa cheia com solução salina normal estéril, de modo a aplicar o vácuo. A agulha será inserida na gordura subcutânea e o tecido será “aspirado” pela seringa. A agulha será repetidamente inserida e retraída algumas vezes na camada de gordura para obter, pelo menos, 2 mg de tecido (cerca de uma gota de água) até cerca de 100 mg (peso equivalente de um palito de dentes) “.

Apesar das promessas de apenas uma parte do tamanho de um palito de gordura, este também doeu pra  cac* # e. Todos os detalhes sórdidos nas fotos abaixo.

greenfield parte 4 6

Agulha da biopsia enorme

greenfield p 4 7

Congelando o tecido muscular exato para preservação

greenfield p 4 8

Agora na minha nádega

greenfild nadegas

Minha gordura extraída na seringa.

green p 4 9

 

 ———————————————–

Resumindo os resultados: uma dieta à base de mais de 70% de gordura resultou em 5,2% de gordura corporal. Comer gordura não engorda pessoal.  Fiquem ligados na continuação deste artigo.

banner livro

O post Como queimar gordura corporal apareceu primeiro em Primal Brasil.

Primal Brasil

Doenças do coração matam mais que o câncer no Brasil

O Dia

Para evitar problemas cardíacos, especialistas sugerem controlar o peso e a alimentação e fazer atividades físicas

No Brasil, uma pessoa morre a cada dois minutos por conta de doenças do coração. São 350 mil mortes a cada ano, causadas pelos três maiores problemas cardiovasculares — infarto, AVC e insuficiência cardíaca —, segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC). Em todo mundo, são 17,5 milhões por ano, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (SMS), que pretende reduzir em 25% a mortalidade cardíaca até 2025. “O problema é que no mundo inteiro o coração está matando mais do que o câncer”, diz Carlos Magalhães, diretor de Promoção de Saúde Cardiovascular da SBC.

Campanha nas redes sociais estimula atividades físicas contra o sedentarismo

Campanha nas redes sociais estimula atividades físicas contra o sedentarismo

Foto: Thinkstock/Getty Images

Os riscos são maiores para quem tem casos de problemas cardíacos na família: parentes de primeiro grau têm 50% de chances de também ter problemas cardiovasculares. Mas muito além dos fatores genéticos, os hábitos de vida influenciam enormemente para o problema. Para especialistas, a maioria das mortes prematuras poderia ser evitada com diagnóstico precoce, tratamentos específicos e a adoção de um estilo de vida mais saudável. Esta receita pode ajudar a eliminar fatores de risco como obesidade, sedentarismo, fumo, colesterol elevado e hipertensão.

“Por conta da vida corrida, as pessoas possuem cada vez menos tempo para cuidarem da saúde. Além disso, fatores como tabagismo e principalmente uma alimentação não balanceada aumentam o risco de a pessoa ter um problema cardíaco”, afirma o cardiologista Raul dos Santos, diretor da Unidade Clínica de Lípides do InCor – HC-FMUSP.

Dia Mundial do Coração: você sabe cuidar do seu? Saiba como evitar doenças

Sete hábitos simples para um coração saudável

No Brasil, para ajudar as pessoas a mudar seus hábitos, a SBC encampou a campanha da World Heart Federation e lança hoje, Dia Mundial do Coração, um concurso de selfies nas mídias sociais, para as pessoas postem fotos fazendo alguma atividade saudável, usando a hashtag #cuidedeseucoracao. Vale selfie da preparação de um prato mais leve, de jogo de futebol, de corrida, de treino na academia, da família fazendo ginástica ou até mesmo uma caminhada com o cachorro.

A cardiologista Flavia Cunacia D’Eva, do Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos, chama a atenção para o excesso de gordura abdominal que, junto com o aumento dos níveis de ácido úrico, triglicerídeos, glicemia e pressão arterial, acarreta maior chance de problemas cardíacos futuros. “Se possível, pratique exercícios físicos todos os dias, em torno de 40 minutos. Pode ser caminhada, ciclismo, corrida, natação ou dança”, afirma. Também é importante procurar um médico pelo menos uma vez ao ano e fazer exames de colesterol e glicemia e checar a pressão arterial. “A hipertensão é silenciosa e acomete pelo menos 25% dos brasileiros adultos, chegando a mais de 50% após os 60 anos, causando infarto, AVC e problemas renais.

Estilo de vida é fundamental

A dona de casa Maria Lucia Justo, de 50 anos, tem histórico de doenças cardíacas na família. O pai e a mãe morreram após infarto e outros problemas do coração. Desde mais jovem, ela tem colesterol alto e nunca cuidou da saúde devido à rotina corrida de trabalho. Há cerca de seis meses, Maria se aposentou e resolveu mudar totalmente de vida. Caminha entre quatro e cinco vezes por semana, faz alongamento e abdominais. Passou a se alimentar melhor, tomando mais água, substituindo doces por gelatinas e frituras por alimentos assados ou cozidos. Com isso, já emagreceu sete quilos.

Veja também quais são os oito vilões do coração:

1) Genética: boa parte das doenças têm fundo genético. Problemas cardíacos também não fogem à regra. Em alguns casos, há predisposição maior de ter problemas

1) Genética: boa parte das doenças têm fundo genético. Problemas cardíacos também não fogem à regra. Em alguns casos, há predisposição maior de ter problemas

Foto: Getty Images

2) Diabetes - doença contribui para o depósito de gorduras nos vasos, que pode resultar em infarto futuro

2) Diabetes – doença contribui para o depósito de gorduras nos vasos, que pode resultar em infarto futuro

Foto: Thinkstock

3) Hipertensão arterial: a pressão alta, ao longo do tempo, exige do coração um esforço maior para bombear o sangue, que resulta em insuficiência cardíaca

3) Hipertensão arterial: a pressão alta, ao longo do tempo, exige do coração um esforço maior para bombear o sangue, que resulta em insuficiência cardíaca

Foto: Thinkstock/Getty Images

4) Tabagismo: fumar faz mal e é a principal causa de mortes por condições evitáveis no mundo todo. Cerca de 20% delas são causas cardíacas

4) Tabagismo: fumar faz mal e é a principal causa de mortes por condições evitáveis no mundo todo. Cerca de 20% delas são causas cardíacas

Foto: Getty Images

5) Colesterol alto: o excesso de gorduras ruins circulando no corpo começa a obstruir artérias que, a longo prazo, resulta em um infarto

5) Colesterol alto: o excesso de gorduras ruins circulando no corpo começa a obstruir artérias que, a longo prazo, resulta em um infarto

Foto: Thinkstock/Getty Images

6) Estresse: sabe-se que a liberação constante de adrenalina e cortisol, hormônios do estresse, lesa órgãos ao longo dos anos. Desestressar-se é fundamental

6) Estresse: sabe-se que a liberação constante de adrenalina e cortisol, hormônios do estresse, lesa órgãos ao longo dos anos. Desestressar-se é fundamental

Foto: Getty Images

7) Má-alimentação: comer muito sal, gorduras e frituras não faz nada bem para o coração. Prefira consumir mais frutas, legumes, verduras e grãos.

7) Má-alimentação: comer muito sal, gorduras e frituras não faz nada bem para o coração. Prefira consumir mais frutas, legumes, verduras e grãos.

Foto: Getty Images

8) Sedentarismo: não praticar atividade física só faz mal. Planeje-se para começar uma atividade, mas antes consulte um médico para uma avaliação

8) Sedentarismo: não praticar atividade física só faz mal. Planeje-se para começar uma atividade, mas antes consulte um médico para uma avaliação

Foto: Thinkstock

Para manter um coração saudável, especialistas recomendam uma alimentação mais equilibrada em nutrientes, sem frituras e com menos alimentos industrializados, mais frutas e legumes e menos sal, além de reduzir o consumo de bebidas alcoólicas e eliminar o tabagismo. Dietas ricas em fibras, com baixas quantidades de sódio e gorduras saturadas, também são indicadas.

Álcool na medida ajuda a prevenir

Pesquisas científicas realizadas nos últimos 30 anos mostram qu eo álcool pode trazer tanto malefícios como benefícios para o sistema cardiovascular, dependendo da frequência e quantidade ingerida. De acordo com o Centro de Informações sobre Saúde e Álcool (Cisa), estudos indicam que o consumo de até duas doses diárias de álcool (duas latas de cerveja, uma taça de vinho ou uma dose de destilado) pode ajudar a reduzir os riscos de doenças do coração.

No entanto, alerta o Cisa, especialistas não recomendam o consumo de álcool na prevenção primária, “apenas permitem o paciente que já tem esse hábito, em situações pontuais, manter o seu consumo, devido aos outros riscos envolvidos”.

Leia esta e mais notícias no site do jornal O Dia.



Saúde: bem-estar, dicas de alimentação, dieta e exercícios – iG