Comprar Seguidores no Instagram é Seguro?

Comprar Seguidores Para InstagramÉ seguro comprar seguidores no Instagram?

Posso ter o meu perfil banido?

Essas perguntas são frequentes e por isso resolvemos desvendar esse mito.

Listamos abaixo o passo a passo para você comprar seguidores e curtidas no Instagram de forma segura, sem correr o risco de ter o perfil bloqueado:

  1. Pesquise antes de comprar, pergunte a amigos ou alguém que já comprou seguidores e curtidas no Instagram.
    Existem várias empresas que vendem seguidores e curtidas, algumas sérias, outras não, por isso é bom pesquisar antes.

    Sugestão:
    Compre seguidores no Instagram com a Social Star.
  1. Opte pelo pagamento através do PagSeguro ou PayPal.

    São duas das formas mais seguras de comprar na internet.
  2. Compare preços, mas dê preferência para qualidade.Você vai encontrar diferentes preços, alguns bem baratos, mas quando a esmola é demais, o santo desconfia.Geralmente os preços muito baratos são seguidores e curtidas falsas, feitas por programas de computador.Por isso, verifique a qualidade antes do preço.
  3. Verifique se tem Garantia.Antes de comprar, verifique se o fornecedor oferece garantia.É normal você perder alguns seguidores após a entrega, mas se cair abaixo do que você comprou, a empresa deve repor sem custo.
  4. Considere começar comprando pequenas quantidades de seguidores.Comece devagar e vá aumentando com o tempo. Principalmente se o seu perfil for novo ou com poucos seguidores.Qualquer aumento repentino exagerado pode ligar uma alerta no Instagram. Se o seu perfil é novo, comece comprando de 1.000 a 5.000 seguidores.Se você já tem alguns seguidores e posta regularmente, pode começar com 10.000 e ir aumentando.
  1. Compre Curtidas para as Fotos e Vídeos Também.Ter muitos seguidores, mas poucas curtidas nas fotos e vídeos fica parecendo que o seu público não gosta muito do que você posta.Combine seguidores com curtidas para as fotos e vídeos.
  2. Não Espere Interação dos Seguidores Que Você Comprou.Esses seguidores são para aumentar a quantidade e dar credibilidade ao seu perfil, mas não espere que eles curtam ou comentem suas fotos.Lembre-se que eles não optaram seguir por vontade própria, eles foram pagos para isso.
  3. Seja Paciente.Ganhar seguidores orgânicos, que optam seguir por vontade própria, leva tempo. É um trabalho constante, diário, mas recompensável.Compre para impulsionar, mas continue o trabalho diário para conquistar o seu público e aumentar seus seguidores.

Como Comprar Seguidores e Curtidas no Instagram em 3 Passos Simples:

Mastologistas pedem programa de qualidade de mamografias

Agência Brasil

Intuito é verificar em todo o País e constantemente se aparelhos funcionam bem, se tem alguma coisa errada ou não

Menos de 10% das 5,2 mil clínicas públicas e privadas existentes no País têm o selo de qualidade em mamografia

Menos de 10% das 5,2 mil clínicas públicas e privadas existentes no País têm o selo de qualidade em mamografia

Foto: Joel Saget/ AFP

Na semana em que se lembra o Dia Nacional da Mamografia, em 5 de fevereiro, o presidente da Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM), Ruffo de Freitas Júnior, cobra mais agilidade na implementação do Programa Nacional de Qualidade em Mamografia (PNQM) nos municípios brasileiros.

A entidade prevê para este ano o lançamento de uma campanha pela qualidade das mamografias. A meta é chamar a atenção de governantes, prefeitos e secretários de Saúde para que disponibilizem verba para facilitar a implementação do programa. “Tenho certeza que vai melhorar [o exame] em cada ponto do País.”

Instituído em 2012 para tornar obrigatória a qualificação de todos os serviços de mamografia, o Programa Nacional de Qualidade em Mamografia, do Ministério da Saúde, foi atualizado pela Portaria 2.898/2013. O intuito é avaliar o desempenho da prestação dos serviços de diagnóstico por imagem, com base em critérios e parâmetros referentes à qualidade da estrutura, do processo, dos resultados, da imagem clínica e do laudo. Ele se aplica a todos os estabelecimentos de saúde públicos e privados que realizam mamografia e que sejam vinculados ou não ao Sistema Único de Saúde (SUS).

Se teu pai teve câncer de próstata, você pode ter câncer de mama; entenda

Câncer de mama deixa mulher vulnerável a infecções mesmo depois do tratamento

Dieta Mediterrânea contra o câncer: veja como seguir

Para Freitas Júnior, com a implementação do programa, fiscais de vigilância sanitária devidamente treinados podem percorrer clínicas e verificar como está a conformidade do aparelho de mamografia. “E mais do que isso, da realização da mamografia em si, incluindo a radiação. Se aquele aparelho está acima da média, ou se não está; se tem alguma coisa errada ou não”. A partir daí, a clínica é notificada e se não apresentar melhorias, o aparelho pode ser desativado temporária ou definitivamente.

A SBM avalia que o programa, devido a seu caráter punitivo, deve ser estendido a todos os municípios. Em algumas cidades, como Goiânia (GO) e Curitiba (PR), ele tem apresentado bons resultados, destaca Freitas Júnior.

Em nota, o Ministério da Saúde afirma que a implementação do programa de qualidade em mamografia depende da iniciativa dos próprios municípios por meio das secretarias municipais de vigilância sanitária.

Diagnósticos errados

O presidente da SBM lamentou que ainda não haja no País uma maneira 100% segura de as mulheres identificarem se a clínica onde vão fazer o exame atende a critérios de qualidade e conformidade. Isso é preocupante, na avaliação dele, porque um exame sem qualidade pode levar a um diagnóstico errado. “Um diagnóstico precoce auxilia um bom tratamento, auxilia na não mutilação e também na redução da morte por câncer da mama”, destaca.

Estudo feito pela entidade em parceria com o Colégio Brasileiro de Radiologia (CBR) mostra que menos de 10% das 5,2 mil clínicas públicas e privadas existentes no País têm o selo de qualidade em mamografia concedido pelo CRB.

Para que um tumor seja detectado de maneira adequada, o presidente da SBM reforça que toda mulher, a partir dos 40 anos, deve buscar fazer o exame anualmente. “E precisa fazer o exame em local que tenha qualidade. Quando isso ocorre, a grande maioria dos tumores será detectada abaixo de um centímetro ou em torno desse tamanho.”



Saúde: bem-estar, dicas de alimentação, dieta e exercícios – iG

Os mistérios da menopausa que a ciência ainda não conseguiu resolver

BBC

Pouco se sabe sobre quando os ovários começam a falhar e os níveis de hormônio começam a flutuar; entenda

BBC

A ciência ainda não tem respostas para algumas questões básicas a respeito da menopausa: para que ela serve? Como funciona? Qual a melhor forma de tratamento?

Uma reportagem detalhada na revista especializada Nature afirma que “a vida útil dos ovários humanos está determinada por uma coleção de fatores genéticos, hormonais e ambientais complexa e altamente não identificada”.

As reações à menopausa podem variar de acordo com a cultura

As reações à menopausa podem variar de acordo com a cultura

Foto: Getty Images

Também é pouco o que se sabe sobre quando os ovários começam a falhar e os níveis de hormônio começam a flutuar.

Do ponto de vista biológico ou intelectual a menopausa também não faz muito sentido.

Em um livro lançado recentemente sobre a ecologia dos primatas é explicado que a “menopausa ainda é considerada uma característica distintiva dos humanos”.

Vivemos muito além de nossa idade reprodutiva e, para ajudar a explicar as implicações deste fato existe a chamada “hipótese da avó”.

Segundo este raciocínio as mulheres vivem muito além da idade reprodutiva pois sua presença beneficia os filhos e netos.

Comportamento diferente

Uma mulher pode nascer com mais de um milhão de óvulos em seus ovários. A cada mês um destes óvulos é liberado, um processo desencadeado pela liberação de hormônios, incluindo estrogênio.

Depois dos 40 anos, os ovários começam a excretar menos estrogênio e, citando a organização especializada em saúde feminina Women’s Health Concern, isto faz com que o corpo se comporte de “uma forma diferente”.

O corpo de cada mulher reage de uma forma diferente às mudanças dos níveis de estrogênio, dificultando certos diagnósticos de menopausa.

As diretrizes do Instituto Nacional para Saúde e Excelência do Cuidado (NICE, na sigla em inglês), um instituto do governo para a melhora da saúde e o cuidado social na Inglaterra e País de Gales, advertem contra qualquer outro procedimento que não seja a observação para o diagnóstico.

Durante a conferência anual da Sociedade Britânica de Menopausa foram revelados vários dados. Por exemplo: as doenças cardiovasculares são a causa de morte mais comum entre as mulheres, dez vezes mais que o câncer de mama, segundo o cardiologista Peter Collins.

Outro problema: são receitados muitos remédios e feitas muitas recomendações de forma irresponsável: lubrificantes vaginais, isoflavonóides, vitamina D e antidepressivos, vitaminas etc.

A mensagem espantosa passada durante a conferência foi consistente: um transtorno que afeta metade da população mundial está tristemente negligenciado.

Não há dados nem medicamentos suficientes. A falta de atenção em relação à menopausa e a saúde da mulher em geral sempre dificultou a vida de qualquer um que tente cuidar de uma mulher nesta fase.

Reposição hormonal

No começo do século 21 o tratamento para menopausa ficou ainda mais difícil.

Até 2002, era receitada às mulheres a terapia de reposição hormonal para ajudar a combater os sintomas da menopausa.

Para as mulheres que ainda tinham útero, a terapia era uma combinação de estrogênio e progesterona.

Mas um estudo publicado na Women’s Health Initiative afirmava que esta terapia aumentava o risco de infarto, de acidente vascular cerebral, da criação de coágulos, de câncer e demência.

Meios de comunicação bombardearam as mulheres com a mensagem que a terapia de reposição hormonal era perigosa – apesar de que, desde então, já saíram vários estudos questionando os resultados da Women’s Health Initiative e outras pesquisas parecidas.

Recentemente a Sociedade Britânica de Menopausa escreveu que, se este estudo tivesse sido publicado agora, teria tido “muito menos impacto na mulher pós-menopáusica”.

Na clínica de tratamento da menopausa da especialista Julie Ayres, em Leeds, na Inglaterra, a maioria das pacientes chegam com ideias pré-concebidas.

Alguns tratamentos usam estrogênio derivado de vegetais

“Elas dizem ‘já sei que há risco de câncer de mama (na terapia de reposição hormonal)'”, segundo a médica. Mas, a especialista afirma que elas estão tão desesperadas com os sintomas, que aceitam todos os tratamentos.

“Chegam com palpitações, ansiedade e ataques de pânico e acreditam que vão ficar loucas”, acrescentou.

E o que ocorre, na verdade, é que estão sofrendo com o poder do estrogênio no corpo.

“Mas como têm palpitações, o médico de família não receita a terapia de reposição hormonal devido ao risco cardíaco.”

Proteção

Na conferência da Sociedade Britânica de Menopausa o especialista em metabolismo John Stevenson, do Hospital Royal Brompton, apresentou um trabalho sobre o papel protetor que a terapia de reposição hormonal pode ter para o coração.

Sergundo ele é “provavelmente o melhor tratamento apra as mulheres pós-menopáusicas”.

Hoje existem outros tratamentos como o da terapia de hormônios bioidênticos, que usa estrogênio derivado de plantas como a soja e a batata, e a progesterona está micronizada, um processo que reduz o diâmetro das partículas sólidas.

O especialista Yehudi Gordon, que tem uma clínica de tratamento com hormônios bioidênticos em Londres, explica que estes fatores fazem com que este tipo de hormônio seja melhor processado para o corpo humano do que qualquer outro preparado convencional.

No entanto, atualmente não há nenhum controle ou regulamentação na produção, receitas e doses dos hormônios bioidênticos.

Críticas

Escritores como Louise Foxcroft e Roy Porter criticaram a medicalização de algo que é natural e inevitável na vida das mulheres.

Esta postura pode ser questionada por muitos médicos, profissionais de saúde e por muitas mulheres que estão passando por esta etapa da vida.

E, por isso, surgem dúvidas de como as mulheres na menopausa devem proceder.

O que se sabe é que as reações à menopausa podem variar de acordo com a cultura, dieta, o estilo de vida, a idade e a condição física da mulher.

Em vários lugares da Grã-Bretanha a estimativa é que aproximadamente 75% das mulheres na menopausa sofram com ondas de calor. Segundo as estimativas, o número das japonesas que afirmam sofrer com este mesmo problema é bem menor, uma em cada dez.

No entanto, durante uma visita ao Japão, a ginecologista e editora da revista especializada em terceira idade Maturitas, Margaret Rees, ouviu muitas mulheres que disseram que sofriam com as ondas de calor mas apenas não falavam a respeito.

Também há um componente cultural sobre a menopausa que pode distorcer as coisas: algumas depressões estão ligadas ao transtorno hormonal causado pela menopausa, mas algumas podem ocorrer devido ao desprezo das outras pessoas relatado por mulheres nesta fase da vida.

Contudo não há dúvida de que a população de mulheres que sofre com os sintomas da menopausa é imensa e não está sendo bem atendida.

 


Saúde: bem-estar, dicas de alimentação, dieta e exercícios – iG

Os aditivos e seus efeitos no organismo

Você está no supermercado, toda focada no #projetoveraopravidatoda e dá de cara com aqueles ingredientes indecifráveis nos rótulos. Mas, afinal, o que são aqueles nomes que aparecem nas embalagens e o que causam no seu organismo? A alimentação convencional, infelizmente, foi se tornando artificializada. A comida que compramos diariamente nos supermercados, em geral, está repleta de corantes químicos, aromatizantes e outros ingredientes aos quais tem se atribuído a causa de grande número de enfermidades. Dificilmente, sabe-se identificar quais são estes aditivos e os seus efeitos no  nosso organismo. Para lhe ajudar nesta tarefa de tentar identificar o que vem na comida que você encontra no supermercado, apresentamos alguns dos aditivos alimentares mais comuns que aparecem nos rótulos das embalagens e os danos que frequentemente são a eles associados. Só gostaria de ressaltar que o intuito não é, de modo algum, fazer terrorismo nutricional! O nosso objetivo é informar e ajudar as pessoas a saberem o que estão escolhendo comer. Levamos sempre em consideração a individualidade bioquímica de cada um, o estilo de vida, o histórico, etc… A gente sabe que há uma série de fatores que interferem no impacto de determinado alimento na saúde de alguém, a coisa não é assim preto no branco. Tem gente […]

O post Os aditivos e seus efeitos no organismo apareceu primeiro em Fale com a Nutricionista.

Fale com a Nutricionista

Descubra quando a comida ‘diet’ nem sempre quer dizer saudável

BBC

Há estudos indicando que o consumo de alimentos doces, seja ou não de sabor natural, aumenta o apetite

As dietas de baixo consumo de gordura estão perdendo a credibilidade e um processo para lá de semelhante ocorroe com alguns dos chamado alimentos dietéticos.

Muitas dessas comidas têm adição de açúcar e aditivos para susbtituir a gordura – o que, para alguns médicos, é pior para quem quer perder peso.

Até porque as calorias já deixaram de ser todas iguais.

Se você está de dieta, é melhor que consuma alimentos integrais, que contam com mais nutrientes que aqueles de qualidade mais baixa ou os processados, que embora tenham menos calorias, não são tão nutritivos. E há algumas outras dicas básicas para evitar algumas armadilhas…

Alimentos como o iogurte de baixo teor de gordura podem esconder surpresas desagradáveis para quem está de dieta

Alimentos como o iogurte de baixo teor de gordura podem esconder surpresas desagradáveis para quem está de dieta

Foto: Getty Images

Vigie o tamanho das porções

Estudos mostram que alimentos descritos como de baixa gordura acabam sendo consumidos em maior quantidade. Em uma das pesquisas, voluntários consumiram 28% mais chocolates cobertos de açúcar e de baixa gordura do que os normais, o que resultou em 54 calorias extras.

Os testes mostraram ainda que pessoas com sobrepeso ingerem muito mais comida com o selo low fat do que pessoas com peso normal. E que todo mundo subestima a quantidade de calorias que consome quando se trata de alimentos de baixa gordura.

Outro estudo descobriu que a etiqueta “light” faz com que as pessoas aumentem o tamanho das porções, independentemente de o alimento ser saudável ou não.

Consciência culpada? Nem tanto

Você já se sentiu culpado depois de devorar alguma alimento rico em calorias, gordura e açúcar?

Você não é o único.

Por que carboidrato “dá barriga”?

Refrigerantes diet realmente são a opção mais saudável?

Mas quando o alimento é acompanhado das palavras “baixa gordura”, estudos mostram que o sentimento de arrependimento diminui, especialmente para quem já tem sobrepeso.

Contando calorias

Se um alimento tem o selo de baixa gordura, essa gordura de menos deu lugar a mais açúcar ou adoçantes. E muita gente assume que está comendo menos calorias.

Leia também: Sarah Baartman: a chocante história da africana que virou atração de circo

Uma corrente de pensamento comum entre os nutricionistas hoje em dia é que uma dieta alta em “gordura boa” é melhor de uma de baixa gordura, mas inadvertidamente alta em açúcar.

Adoçantes amargos

Adoçar comidas sem aumentar calorias parece um dos maiores desejos de quem gosta de comer. Seja em refrigerantes dietéticos, adoçantes para o cafezinho e um doce diet, essas substâncias são parte intrínseca das dietas modernas. Tanto é que 49% das bebidas gasosas vendidas em 2014 eram de baixa caloria.

Mas e se as pessoas soubessem que as susbtâncias que nos ajudam a ingerir menos açúcar podem estar realmente nos engordando? Há estudos indicando que o consumo de alimentos doces, seja ou não de sabor natural, aumenta o apetite.

Adoçantes poderiam também causar esse efeito. Outra reação observada foi a alteração da flora intestinal tanto de ratos como de humanos, de maneira associada à obesidade e à diabetes tipo 2.

Comidas com “armadilhas”

Eis uma lista de alimentos processados de baixa gordura que não são tão saudáveis quanto parecem.

Leia também: Dez sinais de câncer frequentemente ignorados

Biscoitos de arroz: Podem parecer mais saudáveis que batatas fritas, mas as variações com sabores podem até o dobro de sal que o equivalentes em batatas fritas

Passas cobertas por iogurte: Doces, mas uma porção de 25 gramas pode conter quase cinco gramas de gordura – enquanto só as passas têm uma quantidade ínfima de gordura.

Iogurte light: Tem menos gordura e menos calorias que a versão tradicional, mas as versões com sabor podem conter até 10 gramas a mais de açúcar.

 


Saúde: bem-estar, dicas de alimentação, dieta e exercícios – iG