O corpo se acostuma com a dieta e para de perder peso? Tire suas dúvidas

iG São Paulo

Márcio Atalla responde dúvidas dos leitores e explica como o organismo funciona em uma dieta de baixa caloria

Você quer perder peso e, para isso, reduziu a ingestão diária de caloria. A nova dieta fez efeito no primeiro mês, por exemplo, mas depois você percebeu que o corpo estagnou. O que fez de errado? 

Leia também: Cuidado com os sabotadores da sua dieta

Sete alimentos muito calóricos que sabotam sua dieta sem que você perceba

11 alimentos que sabotam sua salada

Corpo se acostuma a uma dieta de baixa caloria?

Corpo se acostuma a uma dieta de baixa caloria?

Foto: Reprodução


A chave para continuar o processo de emagrecimento é conciliar dieta e exercício físico e isso tem uma explicação. Depois de um tempo ingerindo poucas calorias, seu corpo se acostuma a receber menos energia e, por isso, queima menos calorias. Aí entra a ajuda dos exercícios na rotina.

No vídeo abaixo, Márcio Atalla explica em seu canal como o organismo se comporta na dieta e tira outras dúvidas:




Saúde: bem-estar, dicas de alimentação, dieta e exercícios – iG

Dieta e exercícios para emagrecer até o Natal

iG São Paulo

Nutricionista ensina cardápios para perder até 2 kg em duas semanas e personal trainer dá dicas valiosas de exercícios

Preocupada por ter deixado para entrar em forma só agora, às vésperas do verão? Calma, ainda dá tempo de enxugar alguns quilinhos antes das festas de fim de ano. 

Pesquisas mostram que dois terços das mulheres encaram dietas malucas antes de um feriado – e o resultado costuma ser frustrante. Mas tem de ser dessa maneira? Não para a nutricionista inglesa Fiona Kirk. Ela acredita que duas semanas sejam suficientes para perder peso e entrar no vestido de Natal ou até mesmo no biquíni.

Ainda dá tempo de secar para o Natal e adotar hábitos mais saudáveis

Ainda dá tempo de secar para o Natal e adotar hábitos mais saudáveis

Foto: Reprodução


Mudança de hábitos

Fiona não prega dietas radicais, nem privações. Seu plano tem como objetivo mudar hábitos alimentares. “Se realmente queremos perder peso e ver bons resultados, podemos mudar alguns hábitos em poucas semanas”, diz a autora do livro “2 weeks in Fast Lane Diet”, sucesso na Europa. 

Leia mais: 5 coisas que você não deve fazer se quer eliminar gordura corporal

14 alimentos que ajudam a secar a barriga

A nutricionista Aline Queiros, do Spa Med Sorocaba Campus, em São Paulo, segue a mesma linha. “É possível alterar hábitos em poucas semanas e sentir os benefícios que uma boa alimentação pode trazer ao organismo. E, com certeza, o verão motiva as pessoas para essa busca”, diz.

1 kg por semana

Segundo ela, é possível emagrecer em pouco tempo. “A quantidade de quilos varia de pessoa para pessoa, mas duas semanas levadas a sério já são suficientes para notar alguma diferença”. Portanto, ainda dá tempo de entrar em forma para arrasar naquele vestido nas festas de final de ano. 

O ideal em uma dieta saudável é perder, em média, 1 kg por semana. Mas dependendo de metabolismo, sexo, idade e nível de exercício físico, esse número pode ser um pouquinho maior.

Quer uma dieta mais radical? Saiba como secar até quatro quilos em duas semanas

Parte 1 – Alimentação

Como estamos falando em mudança de hábitos, um passo importante é a alimentação. Aline Queiros preparou o cardápio a seguir com base em 1000 calorias diárias. E não precisa comer as mesmas coisas todos os dias. A nutricionista também indica uma lista de substituições para você comer bem, variar o prato e dar uma secadinha até as festas.

Aposta em alimentos leves para entrar em forma

Aposta em alimentos leves para entrar em forma

Foto: iG Arte


Cardápio base

Café da manhã
1 fatia de pão integral light com 1 colher (sobremesa) de queijo cottage
1 copo (100 ml) de leite desnatado
1 fatia fina de mamão
1 xícara de café

Lanche da manhã
2 castanhas-do-pará ou 1 fruta ou 1 iogurte light ou 1 barra de cereal

Almoço
2 colheres (sopa) de arroz integral
2 colheres (sopa) de feijão
1 filé de peixe médio
Hortaliças à vontade com 1 colher (sobremesa) de azeite de oliva extra-virgem
2 colheres (sopa) de legumes
1 fruta ou 1 copo de suco de fruta

Lanche da tarde
1/2 banana com 1 colher (sobremesa) de aveia

Jantar
1 prato de sopa de legumes com frango ou 1 colher (sopa) de purê de batata, com 1 filé de peixe médio, Hortaliças à vontade, 2 colheres (sopa) de legumes
1 taça pequena de salada de frutas sem açúcar

Ceia
1 copo (100 ml) de iogurte natural desnatado ou 1 xícara de chá, de preferência de cores claras

Substituições

Pães

Pão integral

Pão integral

Foto: Thinkstock/Getty Images


1 fatia de pão integral light pode ser substituída por:
4 biscoitos água e sal
2 colheres (sopa) de flocos de milho sem açúcar
2 colheres (sopa) de granola light
1 bisnaguinha
1/2 pão francês sem miolo
1 torrada

Recheios

Geleia diet pode entrar no cardápio

Geleia diet pode entrar no cardápio

Foto: Thinkstock/Getty Images


1 colher (sobremesa) de queijo cottage pode ser substituída por:
1 colher (sopa) de geleia diet
1 fatia fina de peito de peru
1 fatia média de queijo branco
1 colher (sobremesa) de requeijão light
1 fatia grossa de ricota

Leite

Leite

Leite

Foto: Thinkstock/Getty Images


1 copo (100 ml) de leite desnatado pode ser substituído por:
1 pote (100g) de iogurte natural desnatado
1 pote (100g) de iogurte de frutas light
1 copo (150 ml) de leite de soja light

Arroz e massas

Massas

Massas

Foto: Thinkstock/Getty Images


2 colheres (sopa) de arroz integral podem ser substituídas por:
2 colheres (sopa) de arroz branco
1 unidade pequena de batata assada
1 colher (sopa) de creme de milho
1 pegador (70g) de macarrão
1 unidade pequena de mandioquinha
1 colher (sopa) de purê de batata
1 colher (sopa) de polenta

Leguminosas

Feijão

Feijão

Foto: Thinkstock/Getty Images

2 colheres (sopa) de feijão podem ser substituídas por:
1/2 concha pequena de ervilha
1/2 concha pequena de grão-de-bico
1/2 concha pequena de lentilha
1/2 concha pequena de soja

Carnes

Carnes

Carnes

Foto: Getty Images

1 filé de peixe médio pode ser substituído por:
4 unidades pequenas de almôndega
1 unidade pequena de bife de boi magro
1 fatia média de carne de boi assada
4 colheres (sopa) de carne moída magra
1 unidade pequena de frango assado (coxa ou sobrecoxa)
1 unidade pequena de filé de frango
2 ovos cozidos

Hortaliças

Alface

Alface

Foto: Getty Images

O consumo, à vontade, pode variar entre:
Alface, agrião, couve, cebola, escarola, endívia, espinafre, pepino, repolho, rúcula, tomate

Legumes

Abobrinha

Abobrinha

Foto: Getty Images

2 colheres (sopa) de legumes, entre as seguintes opções:
Abóbora, abobrinha, beterraba, brócolis, berinjela, couve-flor, cenoura, chuchu, quiabo, rabanete, vagem

Frutas

Frutas

Frutas

Foto: Thinkstock/Getty Images

As opções de consumo de frutas são:
1/2 unidade de banana-prata
1 unidade de banana-maçã
1 unidade pequena de maçã
1 unidade pequena de pêra
1 unidade pequena de goiaba
2 fatias finas de mamão formosa
1/2 unidade de mamão papaya
7 unidades de uvas
1 fatia grande de melancia
1 unidade pequena de manga
1 unidade de laranja
2 unidades de kiwi
1 unidade pequena de caqui
10 unidades de morango
2 unidades de ameixa
1 fatia grande de melão
1 colher (sopa) de abacate
1 e 1/2 xícara (chá) de acerola
1 fatia média de abacaxi
1 unidade grande de pêssego
1 copo (200ml) de água de coco

Parte 2 – Exercícios físicos

Só com as dicas de alimentação da nutricionista Aline Queiros é possível perder dois quilos em duas semanas. Para turbinar a dieta, vale deixar a preguiça de lado e incluir exercícios físicos na rotina. 

A endocrinologista Giulianna Pansera, que comanda o blog G-Realfit, é adepta de exercícios ao lado do personal trainer Julio Dotti. Abaixo, ela mostra uma série de exercícios para dar aquela ajuda à dieta e ficar em forma. 

Aposte na corrida

Aposte na corrida

Foto: Divulgação

Corrida

Por 40 minutos, corra de forma contínua, sem intervalos. A intensidade da passada deve ser moderada e os batimentos cardíacos devem ser monitorados, devendo permanecer entre 130 e 148. Se você se sentir confortável, vá aumentando o tempo de corrida com o passar dos dias, até completar as duas semanas. Mas sempre monitorando os batimentos e sem ultrapassar os limites de seu corpo.

Musculação

Não é necessário ir a academia para entrar em forma. Que tal dispor de 30 minutos do seu dia para exercitar-se sem sair de casa? O professor indica séries para ombros e abdômen. Alterne um dia de exercício com um dia de descanso:

Exercício 1: Com uma perna a frente da outra, mantenha um halter em cada mão (se não tiver, pode substituir, por exemplo, por um pacote de 1kg de alimento, como açucar ou arroz) e eleve os braços na lateral do corpo simultaneamente, até que os cotovelos se alinhem a altura dos ombros. Desça os braços e repita o movimento 10 vezes. Cada série deve ser repetida 2 vezes, com um intervalo de 2 minutos.

Exercício 2: Com as pernas paralelas, mantenha um halter em cada mão, eleve os braços de forma que eles se estiquem acima da cabeça. Volte à posição original até que os cotovelos volte a se aproximar do tronco. Repita esse movimento 10 vezes. Cada série deve ser repetida 2 vezes, com um intervalo de 2 minutos.

Exercício 3:  Deitada, mantenha as pernas levantadas e unidas. Tenha um halter em cada mão. Faça o movimento de abdominal (projetando o corpo para frente, na direção das pernas), com os braços estendidos, segurando o halter. Ao voltar à posição inicial, evite encostar por completo as costas no chão, dessa forma evita o relaxamento e o exercício fica mais intenso. Repita esse movimento 10 vezes. Cada série deve ser repetida 2 vezes, com um intervalo de 2 minutos.

Exercício 4: Deitada, dobre os joelhos de forma que a planta dos pés toque por inteira no chão. Apóie as mãos nas laterais da cabeça, mas não force-a para frente, isso pode tensionar o pescoço. Volte à posição original e repita o movimento 10 vezes. Cada série deve ser repetida 2 vezes, com um intervalo de 2 minutos.

O vídeo abaixo mostra um pouco de cada um dos exercícios sugeridos: 

Exercício 5: Deitada em um colchonete (não é obrigatório), mantenha o tronco levemente suspenso, de maneira que não toque o chão. As pernas também devem estar suspensas. Simulando um movimento de pedalada, alterne as pernas, dobrando os joelhos em direção ao tronco. Simultaneamente leve seu corpo para frente, de forma que faça a abdominal tocando o cotovelo direito no joelho esquerdo, e o cotovelo esquerdo no joelho direito. Esse movimento deve ser repetido 20 vezes. Veja como realizar o movimento no vídeo abaixo:

Alongamento

Lembre-se de alongar o corpo antes e depois dos exercícios. Veja uma série simples na galeria:

Com os joelhos estendidos, alcance a ponta dos pés com a mão, e mantenha segurando por 15 segundos. Troque a perna e faça o mesmo movimento. Se você não conseguir alcançar as pernas, mantenha-se o mais próximo possível durante o tempo estipulado.

Com os joelhos estendidos, alcance a ponta dos pés com a mão, e mantenha segurando por 15 segundos. Troque a perna e faça o mesmo movimento. Se você não conseguir alcançar as pernas, mantenha-se o mais próximo possível durante o tempo estipulado.

Foto: Divulgação

Com as pernas paralelas, leve um dos pés para a parte de trás do corpo, segurando-o pelo peito do pé. Mantenha seu tronco na postura correta. Você sentira esticar a coxa. Permaneça nessa posição por 20 segundos. Troque a perna e repita o movimento.

Com as pernas paralelas, leve um dos pés para a parte de trás do corpo, segurando-o pelo peito do pé. Mantenha seu tronco na postura correta. Você sentira esticar a coxa. Permaneça nessa posição por 20 segundos. Troque a perna e repita o movimento.

Foto: Divulgação

Com os pés cruzados (assim você sentira alongar, também, a coxa e panturrilha), mantenha a postura ereta e eleve os braços acima da cabeça. Una as mãos trançando os dedos, e faça o movimento de esticar os braços cada vez mais para cima. Permaneça nessa posição por 20 segundos.

Com os pés cruzados (assim você sentira alongar, também, a coxa e panturrilha), mantenha a postura ereta e eleve os braços acima da cabeça. Una as mãos trançando os dedos, e faça o movimento de esticar os braços cada vez mais para cima. Permaneça nessa posição por 20 segundos.

Foto: Divulgação







Saúde: bem-estar, dicas de alimentação, dieta e exercícios – iG

Dieta low-carb e diabetes

Saiu uma nova matéria na revista americana Men’s health entitulada “A Cura Para Diabetes”: E se a Associação Americana do Coração suportasse a dieta da gordura trans? Seria um problema, certo?  Veja com o que a Associação Americana de Diabetes está alimentando os diabéticos: Açúcar. Sem problemas: Temos a solução aqui. Esta matéria da Men’s Health foi traduzida para português na íntegra por Antônio Carlos Junior, Hilton Sousa e eu, como uma sugestão do Dr. Souto e você pode lê-la clicando na imagem abaixo ou aqui.
Untitled

A crítica se deve ao fato da Associação Americana de Diabetes estar recomendando uma dieta alta em carboidratos para diabéticos, mesmo em luz de um grande corpo de evidências sugerindo o oposto, ou seja, uma dieta baixa em carboidratos para a cura da diabetes.

Similarmente, de acordo com a ADA, a Associação Americana de Diabetes, o consumo de doces não é uma preocupação, uma vez que a sacarose, ou açúcar de mesa, aumenta o açúcar sanguíneo do mesmo modo que o amido dos alimentos. Logo, de acordo com esta lógica, carboidratos são bons para diabéticos como são para qualquer indivíduo, e portanto, o açúcar é bom para todos também. Errado! Isto não é o que a ciência mostra, ponto final. O artigo elucida este contraste das recomendações vigentes e com o que as evidências sugerem para diabéticos e para indivídos com transtornos metabólicos.

Enfatiza que uma série de estudos publicados desde 2003 demostram que a dieta low-carb reduz o risco de doenças cardiovasculares, incluindo diabetes mais do que outras dietas. Verdade, a restrição de carboidratos favorece a queima de gordura e a melhora dos biomarcadores de saúde.

O problema com a ADA é que ela não apoia estudos com menos de 3 anos de duração como evidência, entretanto, isto está limitando totalmente o campo de visão e compreensão da ciência por trás do tratamento da diabetes, uma vez que estudos clinicos e randomizados são relativamente curtos por natureza, com relação a estudos prospectivos, tanto é que são aceitos pela comunidade científica como sendo o maior grau de evidência científica. Temos um grande problema aqui, vocês percebem? A ADA não aceita como evidência o que representa o maior grau de evidência científica!  Este é um grande paradoxo que limita a própria credibilidade da instiuição.

Outros pontos importantes da matéria:

  • “Em 2003, pesquisadores da Universidade Duke foram designados para testar as descobertas do Dra. Mary Vernon, presidente da Sociedade Americana de Médicos Bariátricos, em um ambiente de laboratório. Os resultados de seu estudo de 16 semanas: 17 dos 21 pacientes diabéticos que participaram foram capazes de reduzir significativamente a sua medicação ou eliminá-la por completo.”
  • “Em uma pesquisa com mais de 2.000 pessoas seguindo a dieta low-carb, Richard Feinman, Ph.D., diretor da Sociedade de Nutrição e metabolismo dos EUA e professor de bioquímica do centro médico SUNY Downstate, em Nova York, descobriu que 80 por cento realmente consomem maiores quantidades de vegetais, em relação ao que consumiam antes de adotaram a abordagem.
  • Diversos médicos como Dra. Mary Vernon são simples e diretos em suas recomendações. Nas palavras da Dra. Vernon:

Minha primeira linha de tratamento é prescrever uma dieta baixa em carboidratos.”

Isto geralmente é tudo que é necessário para reverter seus sintomas”

Simples! A low-carb reverte boa parte dos sintomas da maioria dos pacientes.

Banner1

 

O post Dieta low-carb e diabetes apareceu primeiro em Primal Brasil.

Primal Brasil

Dieta cetogênica e câncer

Por Mark Sisson,

A dieta cetogênica é um tratamento eficaz para o câncer? Há um monte de histórias na mídia e no mundo on-line sobre a cetose, mas o que as pesquisas realmente dizem? Vamos lá:

Pergunta de um leitor:

“Eu li alguns estudos sobre o uso de uma dieta cetogênica como uma opção de tratamento eficaz para o câncer. Basicamente, os estudos dizem que o câncer não pode sobreviver em corpos cetônicos, mas em vez disso, requerem glicose para proliferar. Isto é, ao eliminar a glicose, as células cancerígenas morrem de fome. Eu quero saber a sua opinião sobre este tópico – Os tumores podem realmente ser regredidos com um regime cetogênico rigoroso?

Obrigado! Mike”

Primeiro, eu vou salientar que há mais de cem tipos de câncer. O que é bom (ou mau) para um tipo pode não ser bom para o próximo tipo. Assim, quando discutimos os efeitos da cetose sobre o câncer, nós temos que ser extremamente específicos. E acima de tudo, é preciso lembrar que nada disto constitui aconselhamento médico. Eu não posso dar-lhe aconselhamento específico e a ciência é ainda muito preliminar.

Com isso dito, várias linhas de evidência têm levado muitos pesquisadores a concluir que as dietas cetogênicas podem ter eficácia em tratamentos de câncer.

  • A hiperglicemia piora o prognóstico de alguns doentes com câncer, como aqueles de fígado, da mama, pancreático, e câncer reprodutivos femininos.
  • Diabetes está associada a um risco elevado de muitos tipos de câncer, incluindo do fígado, pâncreas, cólon e de mama.

• Os diabéticos que usam agentes de redução da glicose como a metformina tem um risco menor de mortalidade por câncer.

Mas só porque açúcar elevado no sangue parece exacerbar a progressão do câncer não significa cetose irá parar ou até mesmo retardá-lo. Não é?

Diversos estudos em animais e in vitro têm descoberto que as dietas cetogênicas ou a administração de corpos cetônicos pode aumentar a taxa de sobrevivência, reduzir o crescimento do tumor, aumentar a morte de células tumorais, e melhorar a eficácia de terapias tradicionais. Um estudo descobriu que a injeção de corpos cetônicos em ratos seguindo uma dieta não cetogênica aumentou o crescimento do tumor. Interessante, mas corpos cetônicos injetados em cima de uma dieta não-cetogênica com comida de laboratório não é análogo ao modo como seguidores da dieta cetogênica produzem cetonas. Não podemos tirar quaisquer conclusões deste estudo..

Foram realizados alguns estudos em humanos, testando principalmente os efeitos da dieta cetogênica em pacientes com câncer cerebral. A evidência é mista.

Em um grupo de 16 pacientes com câncer avançado, a dieta cetogênica melhorou a qualidade de vida, incluindo o processamento emocional, em quem conseguiu tolerar a dieta. Em um par recente de estudos de casos, os pacientes com glioma mostraram a progressão do tumor em uma dieta cetogênica. Os tumores, na verdade, começaram a produzir enzimas necessárias para metabolizar corpos cetônicos, sugerindo que alguns gliomas podem adaptar-se as dietas cetogênica e passar a usá-las como nova fonte de combustível. Além de relatar os estudos de caso, os pesquisadores também revisaram a literatura do câncer de cérebro e a dieta cetogênica em humanos, como um todo, concluindo que alguns pacientes com câncer de cérebro respondem bem a cetose, enquanto outros não sofrem nenhum benefício. Aqueles que se beneficiam desfrutam da progressão tumoral retardada. Dito isto, apenas um dos estudos de caso em humanos abordados nesta avaliação usou a dieta como uma monoterapia; todos os outros estudos usaram a cetose em conjunto com mais terapias tradicionais de câncer (radioterapia, quimioterapia).

Quanto ao porquê de roedores com câncer se darem tão bem com a cetose, isto é em parte devido ao fato deles serem criações de laboratório geralmente geneticamente homogêneas, não “de tipo selvagem”. Seus tumores todos respondem mais ou menos de maneira idêntica para vários estímulos, sejam eles radiação, suplementos ou dietas cetogênicas. Os seres humanos são do tipo selvagem, e portanto, diferentes tumores humanos têm diferentes graus de metabolismo de corpos cetônicos e, assim, diferentes respostas a cetose. Aqueles cujos tumores expressam menos enzimas “ketolytic” provavelmente se sairão melhor em dietas cetogênicas do que os pacientes cujos tumores expressam mais enzimas que metabolizam corpos cetônicos.

Ainda assim, quando usado como um coadjuvante para a terapia do câncer, dietas cetogênicas parecem ser seguras e isentas de efeitos secundários graves. Se eu fosse diagnosticado com um câncer no cérebro, eu provavelmente tentaria uma dieta cetogênica rigorosa. É segura, e muito bem poderia melhorar o meu prognóstico, qualidade de vida, e a resposta ao tratamento. Em outras palavras, dieta cetogênica, sob a supervisão de seu oncologista, provavelmente não custa tentar. Mas não pense que você pode mergulhar na dieta e renunciar a todos os outros tratamentos.

O juri ainda está presente, mas eu espero obter algumas boas respostas no futuro próximo.

Banner1

O post Dieta cetogênica e câncer apareceu primeiro em Primal Brasil.

Primal Brasil

Dieta Paleo Low Carb: Docinho de Chocolate

Este é um guestpost da chefe de cozinha Dirlene D’Addio

Docinho de chocolate

  • Na minha geladeira tinha várias sobrinhas e por isso decidi criar um docinho rápido.
  • Usei 100 ml de ganache (chocolate 70% de cacau derretido e misturado com leite de coco (a mesma quantidade) e 200 ml de gemas peneiradas.
  • Misturei e levei ao banho-maria.
  • Mexi por 5 minutos, desliguei o fogo e misturei 3 colheres de sopa de castanha do pará quebradinha.

docinho de chocolate 2

Gosto da receita dela?? Eu adorei, pois adoro chocolate e ele está sempre presente na minha dieta para emagrecer com muito prazer.

Sebe o que você irá gostar mais?   Todas as outras receitas paleo de seu livro para você aproveitar esta jornada com muito prazer.

Primeiro livro de receitas para quem faz a dieta paleo em português!

Neste livro você encontará receitas fáceis para todas as refeições!
Todas as receitas foram preparadas pela autora e Chef de Cozinha Paleo, Dirlene D’Addio.
O livro esta dividido em categorias para facilitar o manuseio, tais comos, carnes, peixes, ovos, sobremesas e muito mais!”

    Clique aqui para receber: Receitas Paleo Para Todas As Horas

livro de receitas

O post Dieta Paleo Low Carb: Docinho de Chocolate apareceu primeiro em Primal Brasil.

Primal Brasil