Peixe é suficiente? E quais tipos de frutos do mar consumir

Por: Mark Sisson

 

Na edição de hoje, estou respondendo a várias perguntas que vocês fizeram em resposta ao post sobre peixes. Primeiro, comer peixes como fonte de proteínas é suficiente? Você consegue o que precisa com frutos do mar sem comer carne, laticínios ou ovos? Em seguida, qual a importância do peixe na dieta carnívora? Depois, escrevo um pouco sobre o fígado de bacalhau enlatado, os frutos do mar subestimados, seguindo com uma pergunta sobre tomar chlorella para reduzir a absorção de metais pesados ​​dos peixes.

Vamos lá, pergunta:

“Como um seguidor de uma dieta de pescador basicamente este foi um post maravilhoso. Eu vivo para frutos do mar!

Pergunta rápida – Há algo que eu possa estar perdendo se não comer carne, laticínios ou ovos e apenas frutos do mar? Em caso afirmativo, qual a melhor forma de combater esses problemas?”

Estou pensando nas principais deficiências em que você incorre ao comer apenas frutos do mar como fonte de origem animal.

No entanto, simplesmente comer peixe provavelmente não é bom o suficiente. Você também precisa comer mariscos, principalmente as ostras e mexilhões bivalves.

A maioria das pessoas obtém seu zinco – importante para a otimização hormonal – da carne vermelha, mas a melhor fonte do mundo inteiro é a humilde ostra. Apenas uma ostra fornece quase 100% do seu zinco, selênio e cobre diários. Mas não coma apenas um. Coma várias ostras com frequência.

Uma maneira acessível de obter ostras é comprar enlatados ou os pré-descascados. Se você receber as ostras sem casca, verifique se elas são frescas como devem ser. Escolha frascos com datas de validade o mais distante possível no futuro. Refogue-os na manteiga ou no azeite até que uma crosta se desenvolva nos dois lados, ou apenas cozinhe-os em um caldo de ossos quente.

Também recomendo comprar ovas de salmão, também conhecidas como ikura. Eles geralmente vêm com sal, pequenos glóbulos de DHA, vitamina D e fosfolipídios ricos em astaxantina. Eles são uma fonte de nutrientes muito mais potente que a carne de salmão (que já é uma das melhores). Você pode obtê-los em mercados japoneses e restaurantes de sushi ou encomendá-los on-line a granel.

 

Eu como uma variedade de peixes. Se você tivesse que escolher apenas um, o salmão selvagem seria ótimo, mas será melhor servido comendo muitos tipos. Halibut tem bastante magnésio. O salmão fornece excelente selênio, vitamina D e ômega-3. Bacalhau é uma boa maneira de embalar a proteína. Peixes menores fornecem cálcio, ômega-3 e ferro.

Ah, e junte camarão ou caranguejo apenas pelo colesterol. O colesterol na dieta pode ser muito útil.

Está tudo bem para quem segue a dieta carnívora pular peixes?

Não, não é. Eu vou me arrepender por isso, o que de fato sou bem-vindo, porque a verdade é que os carnívoros devem comer frutos do mar.

Número 1, peixe é carne. Peixes são animais. Carnívoros comem animais. Carnívoros devem comer peixe.

Número 2, todo grupo humano que já viveu na costa ou a uma distância razoável come peixe, marisco e outros frutos do mar. Veja bem, um dos povos tradicionais 100% carnívoros são os esquimós, que comem uma quantidade enorme de frutos do mar – pelo menos os que vivem na costa.

Número 3, e isso é o mais importante – peixes e outros frutos do mar oferecem nutrientes que geralmente faltam nos animais terrestres. Os alimentos tradicionais à base de solo nos EUA estão menos densos em nutrientes do que nunca. A alimentação para a maioria dos animais está mais abaixo do que nunca, embora os animais terrestres sejam riquíssimos em nutrientes.

A água do mar também possui um perfil nutricional diferente do solo. Os animais marinhos são ricos em iodo, cobre, selênio e manganês. Não estou dizendo que você não pode obter selênio, iodo, cobre e manganês de animais terrestres, mas é muito mais difícil e menos confiável do que comer frutos do mar. E o manganês em particular é muito difícil de obter de animais terrestres. Se você não está comendo batata-doce, deve comer alguns mexilhões – a fonte mais rica de manganês do planeta

 

Muitas vezes esquecido é o fígado de bacalhau enlatado em seus próprios sucos. É delicioso e nutritivo por si só. E você pode triturar com alguns ovos cozidos.

Sim, os fígados de bacalhau enlatados são bastante leves e saborosos. Eles são enlatados em seu próprio óleo de fígado de bacalhau e produzem uma ótima fonte de vitamina D, vitamina A e ômega-3 de cadeia longa.

Encontre-os nos mercados europeus ou online.

Se você não estiver recebendo vitamina D ou retinol suficiente (forma animal de vitamina A, muito mais biodisponível) em sua dieta e estilo de vida, o óleo de fígado de bacalhau pode ajudar. Uma grande colher de óleo de fígado de bacalhau costumava ser um protocolo padrão para crianças em fase de crescimento por um bom motivo – é ótimo para a função imunológica e rico em ômega 3 biodisponível também.

Pergunta:

“Acredito que podemos deixar um pouco de fora da dieta o salmão (além de preocupações com a contaminação). E os outros animais do planeta, além dos humanos, que também merecem consumir essas espécies?”.

Salmão é a palavra mais antiga da família de línguas indo-européias. Os seres humanos os comem há dezenas de milhares de anos. Eles são muito importantes para nós.

Quanto mais salmão selvagem capturado todos nós desembolsar nosso dinheiro para comprar, mais sustentável fica a indústria do salmão. Dinheiro fala mais alto. Você não salvará o salmão por não comê-lo. Não é assim que funciona a natureza. Até o Monterey Bay Seafood Watch, líder global em análise de frutos do mar sustentáveis, considera o salmão capturado na natureza a “melhor” opção.

Pergunta:

“Ótimo artigo. Normalmente tomo chorella quando como peixe com alto teor de mercúrio. Isso fornecerá proteção adequada para os metais pesados?”

Chlorella pode definitivamente remover metais pesados ​​dos seres humanos. Em um estudo, 90 dias de suplementação de chlorella diminuíram os níveis de mercúrio em pessoas com implantes dentários. Em ratos que receberam cádmio, tomar chlorella aumenta a excreção urinária de cádmio e diminui sua absorção.

Isso é promissor. No entanto, não tenho certeza se tomar uma dose única de clorela conforme necessário inibirá a absorção aguda de mercúrio. Pode ser necessário um processo contínuo de semanas ou meses como neste estudo.

Obrigado por visitar hoje, pessoal. Tem alguma pergunta para mim sobre estes ou outros tópicos relacionados a dieta Primal? Deixe-me saber abaixo.

Primal Brasil

Sua dor de cabeça não passa? Existem mais de 80 tipos diferentes

iG São Paulo

Como pode o mesmo sintoma (dor) ter tantos diagnósticos diferentes? O segredo está nos detalhes

Queixa muito frequente nos consultórios e pronto-socorros é a dor de cabeça. Cientificamente chamada de cefaleia, possui mais de 80 (isso mesmo, oitenta!) tipos diferentes.

Dor de cabeça: existem mais de 80 tipos

Dor de cabeça: existem mais de 80 tipos

Foto: BBC Brasil


O segredo

Mas como pode o mesmo sintoma (dor) ter tantos diagnósticos diferentes? O segredo está nos detalhes, na história clínica bem feita e na presença (ou ausência) de alterações do exame neurológico. 

Pontada, queimação ou peso?

Assim, a dor de cabeça pode se manifestar sob a forma de aperto ou de pontada, de peso ou de queimação, pode ser pulsátil (latejante) ou passar a sensação de uma enorme pressão… Pode começar lentamente e ir piorando, ao longo de horas, ou pode começar subitamente, já muito forte. Pode piorar ao longo do dia ou, de forma diversa, melhorar ao longo do dia. Pode melhorar se o paciente dormir. Pode aparecer com excesso de solto. E com a falta dele também. 

Pode ser estresse? Pode!

Pode ser estresse? Pode!

Foto: Thinkstock/Getty Images


Pode ser estresse 

Pode ser aguda ou pode ser crônica. Pode decorrer de estresse? Pode! Pode decorrer de uma noite mal dormida? Pode também! Pode ser reflexo de outras doenças, tais como pressão alta, alterações de tireóide, alterações visuais ainda não corrigidas… Ou podem, ao estar associadas a determinadas alterações visuais indicar a chance de um tumor cerebral… As alterações visuais podem até – veja só! – avisar ao indivíduo que dentro em breve começará uma grande crise de enxaqueca.

Existem episódios de enxaqueca que levam até mesmo à instalação, ainda que transitória, de déficits de força. Ou seja, o paciente pode logo após a crise presentar perda de força ou visual, recuperando após certo período.

Tratamento

O tratamento, como não poderia deixar de ser, é extremamente variado. Utilizam-se analgésicos simples, anti-inflamatórios, anti-hipertensivos, anti-depressivos ou até mesmo remédios anti-epilépticos. Tudo depende do diagnóstico correto.

De forma geral, as dores de cabeça esporádicas, episódicas, não causam grande preocupação, exceto se súbitas, intensas ou acompanhadas de alterações graves como perda da consciência.

Aquela dor de cabeça que não passa, no entanto, deve ser analisada e investigada mais de perto. Como se pode notar, as características e nuances são muitas, e só um médico especializado pode fazer o diagnóstico correto, afastar doenças mais graves e indicar o tratamento mais eficaz.

Por isso mesmo, pela presença de tantas variáveis que levam a caminhos tão diferentes, não se deve praticar a automedicação. Procure um especialista qualificado, de sua confiança ou da confiança de algum conhecido seu. Com saúde não se brinca, não se arrisca. Consulta médica não é custo, é investimento.

Dr Paulo

Dr Paulo

Foto: Arquivo pessoal

**Dr Paulo Porto de Melo é neurocirurgião formado pela UNIFESP, especialista em Neurocirurgia pela Sociedade Brasileira de Neurocirurgia e colaborador do Departamento de Neurocirurgia da Universidade de Saint-Louis (EUA). Facebook: @DrPauloPortoDeMelo e Instagram @ppmelo.



Saúde: bem-estar, dicas de alimentação, dieta e exercícios – iG